Histórico

Terpsí Teatro de Dança é uma companhia de Dança Contemporânea, de Porto Alegre/RS/Brasil, criada em 1987 pela união de alguns artistas gaúchos. Sua trajetória tem sido dedicada à pesquisa de uma linguagem, que resgata as experiências humanas e rompe a barreira que separa os intérpretes da obra, pois eles são a obra. Tendo, seus processos e resultados identificados muitas vezes como dança teatral.

Através de sua pesquisa em “Teatro de Dança”, como traz em seu nome, vem tecendo processos artísticos e articulações com diferentes áreas através de colaborações que são fundamentais para suas experimentações, processos e possíveis resultados. Nos seus 26 anos de trabalho bem caracterizado em sua maturidade cênica e profissionalismo, está sempre em fase de reinvenção e reconstrução. Pois os diálogos estabelecidos embasam sempre novos discursos incorporados pela Cia, o que a faz sempre jovem não se fixando a um resultado cênico. Mas sim, sempre na busca de muitas e atuais referências que podem ser observadas através da subjetividade em cena.

Ao longo de sua trajetória, acumulou prêmios e reconhecimentos, sendo considerada pela crítica especializada do centro do país como “uma renovadora da dança brasileira”. Foi uma das duas companhias a representar o Brasil no Carlton Dance Festival em 1990, ao lado de companhias como Nikolais and Murrais Louis e Tanztheater Wuppertal de Pina Bausch. Entre os diversos prêmios recebidos ao longo de duas décadas, destaca-se o Prêmio Estímulo de Teatro e Dança concedido pelo Ministério da Cultura – Funarte/IBAC (Instituto Brasileiro de Arte e Cultura).

A convite, se apresentou no festival Danza Libre (Uruguai).  Em 1996, foi a única companhia de dança a representar sua cidade de origem no I Porto Alegre em Buenos Aires (Argentina) a convite da Secretaria Municipal de Cultura e Secretaria de Cultura de la Nacion (Argentina). Participou do 1ª, 3ª, 6ª, 9ª, 10ª e 16ª edições do Porto Alegre em Cena (Brasil). Foi o único grupo representante de dança a participar do Projeto PETROBRAS – Um diálogo entre Sul e Norte – As Artes Cênicas Aproximando o Brasil (Manaus, Belém, São Luiz, Fortaleza em 2002). Integrou o Circuito Brasil Telecom Dança (Brasil) na 1ª, 2ª e 3ª edições. Apresentou-se no Rio de Janeiro em “O Globo em Movimento” ao lado da Cia. canadense O Vertigo. Participou do I Fórum Social Mundial (2000) e da I USINA BRASILTELECOM DANÇAS (2001). Em 2000 realizou o espetáculo “O Banho”  no Cais do Porto de Porto alegre com patrocínio Brasil Telecon.

Em 2006, em associação com o diretor teatral Décio Antunes (Produção e Realização: Jogo de Cena/Dramaturgia e Direção: Décio Antunes), apresentou o espetáculo Mulheres Insones, vencedor em diversas categorias do Prêmio Quero-Quero (SATED-RS e Assembléia Legislativa – RS) e Prêmio Açorianos de Dança (Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre), sendo que em ambos foi eleito o Melhor Espetáculo de Dança de 2006.

No ano comemorativo de seus 20 anos, a Terpsí Teatro de Dança realizou, em Porto Alegre, o Projeto Proteínas Terpsí, de abril a julho de 2007. Esse projeto recebeu do Ministério da Cultura, por meio da Fundação Nacional de Arte (Funarte), o Prêmio Klauss Vianna, que tem viabilizado a produção de diversos projetos em Dança no Brasil. Também recebeu apoio cultural do projeto Usina das Artes do Centro Cultural Usina do Gasômetro, Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Porto Alegre e Museu do Trabalho.

No ano de 2008, desenvolveu o Projeto PTerPsí Pum PBrinPcanPte Pno PMuPseu, financiado pelo Fumproarte com o especial objetivo de inaugurar o CEC Terpsí (Centro de Estudos Coreográficos Terpsí), estabelecendo uma parceria com o Teatro do Museu do Trabalho distribuindo 50 bolsas integrais de formação em dança para sociedade.

Em 2008 recebeu novamente o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna que possibilitou a montagem do Espetáculo “Ditos e Malditos: Desejos da Clausura” no ano de 2009. Foi novamente contemplada com este prêmio no ano de 2010 possibilitando que um novo espetáculo seja criado e produzido no ano de 2011.

O reconhecido trabalho da Terpsí através do trabalho de sua diretora e coreógrafa Carlota Albuquerque, foi destaque e obteve reconhecimento no ano de 2010 quando Carlota foi agraciada na 16ª Edição da Ordem do Mérito Cultural em cerimônia no Theatro Municipal do Rio de Janeiro promovida pelo Ministério da Cultura.

Projetos Especiais

– Projeto Begegnung – (encontro/1999) intercambio – Kulturamt Stadt Essen/ Fond Darstellenden Kunst/ Goethe Institut Porto Alegre/ Sayonara Pereira com a coreografia “Caleidoscópio das águas” para a Terpsi Teatro de Dança;

– 15 Valsas de 15 – Comemoração dos 15 da Terpsí na Usina do Gasômetro – Patrocínio FUMPROARTE;

– “O Banho” (2000) com a artísta Zoé Degani;

– Projeto Petrobras As Artes Cênicas Aproximando O País (2002)- Grupos Associados de Teatro e Dança do RS, produção Stravaganzza;

– Antígona – Direção Luciano Alabarse (2005/2006);

– Sagração da Primavera (2007) – intercâmbio ULBRA- Curso superior de Licenciatura em Dança e Usina das Artes do Centro Cultural Usina do Gasômetro;

– Proteínas – Prêmio Klauss Vianna – Intercâmbio com o Teatro Escola de Antônio Nóbrega (2006) – FUNARTE/PETROBRAS e Usina das Artes;

– Projeto PterPsí Pum PbrinpCanPte Pno PmuPseu – Financiamento FUMPROARTE;

– “Ditos e Malditos – Desejos da Clausura” – Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna/2008;

– “Das Obras nascem as Obras” – Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna/2010;

– Terpsí em Obra(s) – 1º Prêmio de Fomento ao Trabalho Continuado em Artes Cênicas de Porto Alegre.

Ordem do Mérito Cultural

Carlota Albuquerque, diretora e coreógrafa da Terpsí Teatro de Dança (POA/RS) foi agraciada na 16ª Edição da Ordem do Mérito Cultural em cerimônia no Theatro Municipal do Rio de Janeiro promovida pelo Ministério da Cultura.

A entrega do prêmio foi na noite de 02/12/2010 onde 40 personalidades da cultura brasileira receberam esta homenagem na presença do então Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, do ministro da Cultura, Juca Ferreira, do governador do estado do RJ, Sérgio Cabral Filho, e do prefeito do Rio, Eduardo Paes. A OMC é o maior reconhecimento do Governo Federal a personalidades que contribuem para o desenvolvimento da identidade cultural brasileira.

“Para receber a Ordem do Mérito Cultural foram escolhidas pessoas que exprimem a nossa tradição, a nossa vanguarda, as diferentes correntes de criação cultural e artística do nosso povo”, conta Juca Ferreira. “Muitos dos agraciados não se conhecem entre si e isto é mais uma mostra de que o Brasil é múltiplo, é plural, e que cabe aos brasileiros revelar uns aos outros o país que estão criando em conjunto”, comemora o ministro.

Fonte: http://www.cultura.gov.br/site/2010/12/01/ordem-do-merito-cultural-2010-5/

Em 2011 – Contou com o Projeto Terpsí em Obra(s) para manutenção de grupo recebido através do 1º Prêmio de Fomento ao Trabalho Continuado em Artes Cênicas de Porto Alegre. Contando com o apoio do Museu do Trabalho onde é residente e dá continuidade aos projetos do CEM – Centro de Estudos do Movimento Terpsí.

– Participou da Mostra Contemporânea de Dança em Joinville com Ditos e Malditos: desejos da clausura.

– Espetáculo convidado para VI Reunião Científica da Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas (Abrace), que reuniu em Porto Alegre cerca de 400 pesquisadores do Brasil e de países da América Latina. Com o tema Tempos de encontro: criação, acontecimento e pesquisa.

– Selecionado para o 18° Porto Alegre em Cena com a obra Ditos e Malditos: desejos da clausura.

– A Obra Ditos e Malditos: desejos da clausura é convidada a integrar o Dossiê de Espetáculos” da publicação no número 1/ Volume11/ 2011 da Revista Sala Preta, lançada pela primeira vez como periódico eletrônico do PPGA /USP, São Paulo. Revista Sala Preta

Em 2012 – Participa com promoção da Secretaria de Cultura do Estado do RS do Fórum Social Temático em janeiro de 2012 com a apresentação da instalação coreográfica de rua “Terpsí em Obras”.

– Em maio, ainda com a instalação coreográfica de rua “Terpsí em Obras”, participou do seminário “Interstícios Cênicos – Cruzamentos entre Teatralidades e Performatividades na Cena Contemporânea Latino-Americana”, em Porto Alegre.

– Em Junho, a instalação “Terpsí em Obras” participou da Semana de la Cultura de Rio Grande do Sul en Uruguay – El Arte al Sur del Norte, em Montevideo, no Uruguai.

Em 2013 – A Cia. foi escolhida como grupo homenageado pelo IV Festival Dançapontocom (Porto Alegre) onde realizou a pré-estréia da obra “Casa das Especiarias”.

– Participou do 20° Porto Alegre em Cena concorrendo ao 8° Prêmio Braskem em Cena, sendo premiado na categoria Destaque para melhor Cenografia com a obra “Casa das Especiarias”.

Cronologia OkCover

CRONOLOGIA DE OBRAS

2013 – Casa das Especiarias

2011 – Casa das Especiarias – Instalação Coreográfica

2009 – Ditos e Malditos – Desejos da Clausura

2008 – Ditos e Malditos – Uma Instalação Coreográfica

2006 – Mulheres Insones (Em parceria com Décio Antunes)

2003 – I La Nave No Vá II

2001 – I La Nave No Vá I

2001 – O Banho

1999 – A Família do Bêbe

1998 – Escape a Dança dos Loucos

1996 – Orlando’s

1993 – Lautrec… Fin De Siécles

1989 – Quem é?

1988 – As Três Parcas

1987 – As Quatro Estações

Anúncios

3 respostas em “Histórico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s