Turnê Casa das Especiarias | Arte Sesc – Cultura por toda parte

Seguimos com os últimos preparativos para nossa viagem pelo interior do Estado do RS.

Você pode conferir nossa agenda completa e os valores dos ingressos através do link:

https://www.sesc-rs.com.br/noticia/mostra_noticia.php?id=1302#.U_H08PldWSo 

Foto: Claudio Etges

Foto: Claudio Etges

E nossa primeira parada ocorre amanhã (19/08) em São Leopoldo

19/08 – São Leopoldo

Horário: 20h

Local: Teatro Municipal de São Leopoldo (Rua Osvaldo Aranha, 934)

Ingressos: Gratuitos para comerciários e dependentes com Cartão Sesc, R$ 6,00 para empresários e dependentes com Cartão Sesc e R$ 12,00 para público em geral. Podem ser adquiridos na Unidade Sesc de São Leopoldo (Rua Marquês do Herval, 784)

#TerpsiRS #Especiarias #FicaaDica #EuVou #SaoLeopoldo

Casa das Especiarias no Theatro São Pedro

Agora é a vez do Theatro São Pedro receber a “Casa das Especiarias”. O espetáculo ocorrerá quarta-feira agora, dia 18 de junho às 21h.

Sabemos que em função dos jogos da copa do mundo em Porto Alegre, haverão mudanças no trânsito. Então gostaríamos de avisar que o acesso ao Theatro São Pedro poderá ser realizado através da Rua Duque de Caxias! Segue o mapa: https://goo.gl/maps/wsAbH

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Theatro São Pedro.

Ingressos: R$ 30,00
Classe Artística: R$ 20,00
Estudante: R$20,00
Idoso: R$ 15,00

Venha conferir o que estamos preparando. Aguardamos sua visita!

DIVULGAÇÃO-WEB

TERPSÍ no Theatro São Pedro

 

Theatro São Pedro apresenta programação especial em junho

Nos 30 anos da reabertura da centenária casa de espetáculos, com uma trajetória de atividades ininterruptas, a programação comemorativa traz atrações da cena teatral gaúcha com o projeto “Jogo de Cena”.

 Jogo de Cena - p

Dia 28 de junho completa 30 anos da reabertura do Theatro São Pedro, que ficou 12 anos fechado – desde 1972. E para sua total reconstrução, sob o comando de Eva Sopher, foram nove anos (entre 1975 e 1984). Neste mês a instituição, vinculada à Secretaria de Estado da Cultura, celebra também seu aniversário de 156 anos. E para assinalar datas tão especiais, a direção artística do teatro apresenta uma série de atrações locais, em um projeto intitulado Jogo de Cena, em alusão ao momento festivo da Capital, que sedia jogos da Copa do Mundo.

        A proposta é oferecer ao público, além dos turistas que circulam pela cidade, mais uma oportunidade para conhecer a produção local. A programação traz um mosaico de espetáculos – teatro, música e dança – com preços populares. Além de montagens de importantes companhias gaúchas, o público poderá conferir, com entrada franca, a exposição de bonecos Acervo Caixa do Elefante – 23 anos, de 06 a 30 de junho, na sala de exposições do teatro.

   Jogo de Cena tem o apoio da Associação Amigos do Theatro São Pedro. Os associados da AATSP têm direito a um par de ingressos gratuitos (limitados), que devem ser retirados de 28 de maio a 30 de junho. Os ingressos à venda estão disponíveis na bilheteria do TSP a partir do dia 6 de junho. Confira a programação:

 

A TECELÃ (RS)

Companhia Caixa do Elefante

07 – Sáb – 21h

08 – Dom – 18h

Montagem vencedora de diversos prêmios, entre eles, Fita-RJ (2013), Açorianos (2011) e Brasken (2011). A trama é inspirada em mitos que envolvem a tecelagem, com mescla de linguagens em um clima intimista que seduz a plateia do início ao fim, acompanhada pela belíssima trilha original composta por Nico Nicolaiewsky.

 Elenco: Carolina Garcia, Valquíria Cardoso e Viviana Schames

Direção e dramaturgia: Paulo Balardim

 

LAS CUATRO ESQUINAS (RS)

Companhia de Flamenco del Puerto

13 – Sex – 21h

Com este trabalho a companhia recebeu oito Prêmios Açorianos de Dança (2012), incluindo Melhor Espetáculo. Destacam-se as belíssimas performances que contemplam, além da dança flamenca, o uso de mantóns, batas de cola, abanicos e castanholas, acompanhados de uma banda flamenca formada por oito músicos, que executam ao vivo a trilha composta especialmente para o espetáculo.

Direção Geral e Concepção: Ana Medeiros, Daniele Zill e Juliana Prestes

Direção Musical, Arranjos e Trilha Sonora Original: Giovani Capeletti

Direção Artística: Juliana Prestes

Coreografias: Ana Medeiros e Juliana Prestes

 

PEQUENAS VIOLÊNCIAS – SILENCIOSAS E COTIDIANAS (RS)

Companhia Stravaganza

14 – Sáb – 18h e 21h

O texto parte de um fato corriqueiro: um atropelamento no qual não há vitimas fatais. A partir do olhar de diferentes testemunhas, a trama evolui como um quebra-cabeça, onde as peças soltas aos poucos se encaixam e vão revelando que, por trás desse acontecimento banal, algo mais terrível está por ocorrer.

Elenco: Liane Venturella, Janaina Pelizzon, Cassiano Ranzolin, Rodrigo Mello e Rafael Guerra.

Direção: Fernando Kike Barbosa

 

CASA DAS ESPECIARIAS (RS)

Companhia Terpsí Teatro de Dança

18 – Qua – 21h

Ao se apropriar do espaço, a obra traz, além do seu aspecto acolhedor e provocador de lembranças, uma mistura de linguagens, onde dança, música e imagens se unem. A obra emerge justamente dessa interação simultânea entre o real e o virtual. Um espaço “casa” repleto de cheiros, sabores, amores e dores.

Direção e concepção: Carlota Albuquerque

Bailarinos-Intérpretes: Angela Spiazzi, Raul Voges, Francine Pressi, Gelson Farias, Edson Ferraz e Natália Karam

Trilha sonora original: Vagner Cunha

 

NATALÍCIO CAVALO (RS)

Companhia Rústica

20 – Sex – 21h

Natalício é um anti-herói que vaga entre a cidade e o pampa durante o século XX, celebrando a vida e encontrando a morte em mais de uma esquina. Situado entre os anos 1940 e o presente, a montagem percorre o universo do pampa gaúcho e também da paisagem urbana e boêmia de Porto Alegre. O projeto recebeu o Prêmio Myriam Muniz (2012), da Funarte.

Direção e composição dramatúrgica: Patrícia Fagundes

Elenco: Heinz Limaverde, Lisandro Bellotto, Marina Mendo, Priscilla Colombi, Marcelo Mertins e Rossendo Rodrigues

Trilha sonora: Arthur de Faria

Preparação musical: Simone Rasslan

Figurinos: Daniel Lion

 

NINA, O MONSTRO E O CORAÇÃO PERDIDO (RS)

Companhia Clareira de Teatro

21 – Sáb – 16h

O espetáculo, voltado ao público infantil, conta a história de uma menina que se desfaz do seu coração para não mais sentir tristeza. Com um texto delicado, a montagem fala sobre o valor da amizade, além da necessidade de encarar os sentimentos mais difíceis. O tema tem uma abordagem sutil e poética, abrindo portas para a reflexão.

Texto: Martina Schreiner

Direção: Lúcia Bendati

Elenco: Alex Limberger, Gustavo Dienstmann e Valquiria Cardoso

 

CAMERATA PAMPEANA (RS)

28 – Sáb – 21h

Criada pelo maestro Tasso Bangel, em setembro de 2011, para divulgar a música regional gaúcha com uma nova proposta. O grupo vem recebendo uma resposta entusiasta do público, além de diversas premiações, como o Prêmio Açorianos de Música, em 2013 e 2014.

Músicos: Elsdor Lenhart (1° violino), Rosângela dos Santos (2° violino), Gabriela Vilanova (viola), Philip Mayer (violoncelo), Diego Costa (violão), Maestro Tasso Bangel (acordeon).

ACERVO CAIXA DO ELEFANTE – 23 ANOS

Exposição | 6 a 30 de junho

Entrada Franca

Exposição de bonecos da Companhia Caixa do Elefante, selecionados especialmente para esta mostra. As obras foram restauradas através do projeto de manutenção de grupos teatrais da Petrobras. O público poderá conferir personagens de diversas apresentações da companhia, além de programas televisivos e campanhas publicitárias.

Sala de exposições do teatro, na entrada principal

Horário: de terça a sexta, a partir das 12h; sábado e domingo, a partir das 15h.

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL DE JUNHO

JOGO DE CENA – THEATRO SÃO PEDRO 

Ingressos na bilheteria do TSP:

Teatro Adulto

R$ 30,00

Classe Artística: R$ 20,00

Estudante: R$20,00

Idoso: R$ 15,00

 

Ingressos – Teatro Infantil

R$ 20,00

Classe Artística: R$ 15,00

Estudante: R$ 15,00

Idoso: R$ 10,00

 

Mariângela Machado

Assessora de Comunicação

Fone: (51) 32287842 / 32275300

www.teatrosaopedro.com.br

 LOGO_TSPlogo_AATSP

Casa das Especiarias – Prazer e gratidão no fim da temporada

Nós da Cia. Terpsí Teatro de Dança só temos à agradecer. Nossa “Casa” esteve com lotação esgotada em todas as apresentações! Agradecemos não só a cada um dos envolvidos na realização desta temporada, como a cada pessoa que foi lá nos “visitar” e de forma muito carinhosa nos deixaram deliciosas mensagens em nossas redes sociais.

Abrimos as portas desta casa para recebermos o público, e na realidade nós é que fomos maravilhosamente bem recebidos, acolhidos, abraçados. Abraços perfumados, temperados, apertados. A sensação é que o espetáculo não acaba quando termina, pois as pessoas realmente se sentem em casa, entram no palco, nosso espaço sagrado, para sentir a textura das cortinas, para ver o que tanto ferve naquela chaleira, quais são os mistérios daquele balcão central… O público esteve ali, a um palmo de distância do palco, vivenciando cada cena junto com os bailarinos, mas é como se isso ainda assim não bastasse, antes de partir é preciso se aproximar ainda mais. É preciso tocar, olhar de pertinho.

A plateia riu e chorou conosco. Alguns beberam caipirinha, outros quiseram levar algumas ervas, chás e pimentas de recordação… Alguma coisa mágica acontece nessa Casa das Especiarias. Penso ser a potência da arte unida as banalidades da vida cotidiana. O prazer de cozinhar, de sovar a massa do pão, de temperar aquilo que vai comer. Prazer. Talvez seja essa a palavra que defina o espetáculo, que defina o que sentimos ao realizar esse trabalho.

 

Francine Pressi

Bailarina/ Intérprete da Cia Terpsí Teatro de Dança

 

Logo POA

APOIO

 

 

Agradecimentos: Eduardo Prates, EÁUDIO Produtora, Pátio Vazio, Dinorah Araújo, Rosane Furtado, Hugo Rodrigues, Casa de Teatro, Iuri Correa, Paulo Marra, Henrique Schuck, Márcia Pacheco, Natália Dametto e Bathista Freire.

               TVE-novo    ____Canal Voce - Logo Apoio Materiais Divulgacao (principal)   FMCULTURA2 (1)-marcaglobal

 

 

 

     

Pelotas recebe “Casa das Especiarias”

O espetáculo “Casa das Especiarias” do Grupo Terpsí Teatro de Dança, esteve em cartaz em Pelotas/ RS, à convite do Módulo Artes Cênicas do Projeto Cultural Quartas no Lyceu, da Universidade Federal de Pelotas. A obra foi apresentada no dia 20 de novembro de 2013 em duas sessões, às 17h30 e às 19h30, no Tablado (Curso de Dança e Teatro da UFPel) com entrada gratuita. Nosso agradecimento em especial à Maria Falkemback, que nos proporcionou este encontro!

Últimos preparativos para viagem…

Foto: Raul Voges

1403148_10151910189847740_564890206_o

Casa das Especiarias no 20° Porto Alegre em Cena

Convidamos a todos para assistirem o espetáculo “Casa das Especiarias” que estará no 20° Porto Alegre em Cena e concorrendo ao prêmio BRASKEM em Cena.

Casa das Especiarias – Duração: 65min

Teatro do Museu do Trabalho – Rua dos Andradas, 230 – Centro – POA

Dias 13 e 14 de setembro às 20h

Ingressos: R$ 20 (Inteira) – R$ 10 (Promocional)

Release
A nova obra “Casa das Especiarias” da Cia Terpsí Teatro de Dança é um convite a um lugar onde o público visitante é instigado a envolver-se em experimentações despertadas inicialmente pelo olfato e paladar. Um espaço “casa” repleto de cheiros, sabores, amores e dores. Um lugar de visitas. Ao se apropriar do espaço, a obra traz, além do seu lado acolhedor e provocador de lembranças, uma mistura de linguagens, onde dança, música e projeções se unem.  A obra emerge justamente dessa interação simultânea entre o real e o virtual, provocadores de muitas imagens.
 
Ficha técnica
Direção e Concepção: Carlota Albuquerque / Elenco: Angela Spiazzi, Raul Voges, Francine Pressi, Gelson Farias, Edson Ferraz e Natália Karam / Trilha sonora original: Vagner Cunha / Trilha sonora pesquisada: Carlota Albuquerque / Edição e mixagem trilha pesquisada: Murilo Assenato / Iluminação: Guto Grecca / Cenário: Raul Voges e Terpsí Teatro de Dança / Cenotécnico: Paulinho Pereira / Figurino: Anderson de Souza / Interferências visuais: Darjá Cardozo / Equipe de Produção: Cia. Terpsí Teatro de Dança e S.O.S Daughters (Anita & Clara) / Criação de Imagens e Fotos: Claudio Etges / Recomendação etária: 12 anos / Duração: 65 minutos
 
Fotos: Claudio Etges

Depoimento de Helena Mello

Depois de uma estréia com casa cheia e muita emoção no reencontro de vários profissionais que marcaram a história da Cia Terpsí Teatro de Dança, recebemos com muito carinho as palavras de . Jornalista, mestra em Artes cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e prima de Angela Spiazzi (única bailarina a permanecer na cia. desde sua origem), assistiu a obra “Casa das Especiarias” e nos revela o que sentiu ao estar presente naquele momento. Segue o link do blog de Helena Mello com seu depoimento sobre esse trabalho:

Terpsi: a arte forjada nos corpos dos bailarinos

Celebração. Talvez essa seja a melhor palavra para descrever a apresentação do Terpsí dentro da Programação Dança.ponto.com. A ideia era fazer uma homenagem aos 25 anos desse grupo. Prima de Angela Spiazzi, a única bailarina a permanecer desde o início, acompanhei toda essa história na plateia e posso dizer que não há limites para a criatividade dessa coreógrafa chamada Carlota Albuquerque. Assisti tudo  arrepiada do início ao fim, emocionando-me com a música, com o cenário e, é claro, com esses corpos que se doam a cada movimento. A predominância do branco, os poucos elementos em cena, só destacavam ainda mais os cheiros das especiarias que saiam da pequena mesa próxima a minha cadeira. No palco, não há bailarinos, mas o pé de um, a cabeça de outro, os braços de outro, tornando, ironicamente, impossível o desmembramento desse coletivo de teatro-dança. Enquanto isso, eu segurava as lágrimas que vinham da simples constatação do privilégio que era estar ali, nessa cidade que luta para não ser esquecida no cenário nacional, vendo algo tão único, criado por pessoas com tanto talento e que transformam emoção em movimento. Reconheço características de outros trabalhos, enquanto observo que nada é igual. Pouco importa que eu já tenha visto duas décadas e meia de espetáculos, nada se repete. O Terpsí transpira o calor do corpo dos bailarinos, exala a energia de sua coreógrafa e surge e ressurge chacoalhando com os nossos sentidos. Assim, mesmo que uma chaleira esteja fervendo ali ao meu lado, tenho a sensação de que estou sonhando pelo simples fato de ser difícil acreditar que esteja diante de cenas tão poéticas, tão estéticas, tão sensíveis. Mas, tendo visto tantas outras obras do grupo não deveria estranhar que tudo é novo, fresco, como se nem tivesse sido ensaiado. Mas só quem não conhece a persistência de Carlota para imaginar que tenha sido assim e, por falar nisso, ela que sempre teve como referência Pina Baush, me faz lembrar Federico Fellini. Não importa que os bailarinos brinquem com pratos, sovem massa de pão, sirvam café ou caipirinha aos expectadores, eles me transportam a um universo onírico, onde nada é impossível, onde a gravidade é desafiada em pequenos passos ou grandes movimentos. E se tem algo que sempre me atraiu é que todos os espetáculos me trazem a vontade de dançar, me dão a impressão de que qualquer um poderia levantar e dançar também. Bem, mas terminado isso tudo, chegou a hora dos depoimentos de quem fez parte dessa história e a choradeira geral, inclusive minha, já que estavam falando de especiarias, me lembrou o filme “Como água para chocolate” no qual a tristeza da cozinheira vai parar nos pratos que ela prepara levando todo mundo as lágrimas. Pudera não. Eram milhares de momentos extremamente especiais para serem recordados. De pessoas que dançaram no grupo, de quem colaborou na criação e na estruturação do Terpsí ou até mesmo para quem sempre o fotografou e da própria Carlota que declarou que ela não era só ela, mas a soma de todos aqueles que só tinham palavras de agradecimento. Intensidade. Foi a que usaram para descrevê-la e que, sem dúvida, também serve para falar do seu trabalho e dessa noite. Como ela mesma falou, mais uma vez ela disse estar fazendo seu último espetáculo. Mas quem a conhece sabe que essa afirmação só dura até ela começar a criar o próximo. Ainda bem porque, mesmo tendo visto tantos, a gente nunca se cansa de rever o Terpsi que se recria a cada espetáculo, a cada passo dessa dança-teatro que é simplesmente fascinante. Ah, prima, e tu podes aparecer aqui em casa para sovar um pão de vez em quando.

Helena Mello

Terpsí no 20° POA em Cena

Neste ano a Cia Terpsí Teatro de Dança participará do 20º Porto Alegre Em Cena, de 3 a 23 de setembro. As produções dos grupos gaúchos selecionados já foi divulgada. Fonte: ClicRBS 

Lista dos espetáculos selecionados:
CNPJ – Uma Comédia Totalmente Ficcional -Teatro Sarcáustico
Coração Randevu – de Patrícia Fagundes, com Zé Adão Barbosa
Natalício Cavalo – Cia Rústica
Casa das Especiarias – Cia Terpsí
Estremeço – Cia Stravaganza
As Cuatro Esquinas – Cia de Flamengo Del Puerto
Eu Estive Aqui – Porto Alegre Cia de Dança
O Baile dos Anastácio – Oigalê
Parafuso de Algodão – Grupo ContraQueda
A Noite Árabe – Companhias Verte e Grupojogo

Esta seleção foi realizada por um conselho curador formado por Breno Ketzer, Marcelo Restori, Mauro Soares, Vika Schabbach, Fernando Zugno, Inês Marocco, Jussara Miranda, Jezebel De Carli e Margarida Peixoto.

Em breve, maiores informações.

Revista Sala Preta – Dossiê do Espetáculo “Ditos e Malditos – Desejos da Clausura”

A Cia. Terpsí Teatro de Dança foi escolhida no ano de 2011 pelo PPGAC-USP (Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da USP) para apresentar seu trabalho na primeira Edição realizada somente na versão digital da Revista Sala Preta, periódico eletrônico. A publicação de número 11/Volume 11/2011 da Revista Sala Preta já está disponível no site. A atual edição do periódico conta com um dossiê do espetáculo “Ditos e Malditos – Desejos da Clausura”, com artigos escritos por Mônica Fagundes Dantas, Inês Alcaraz Marocco, Suzi Weber, Luciane Moreau Coccaro e Flavia Pilla do Valle, além de um ensaio de imagens do fotógrafo Claudio Etges e um videoclipe da obra. Acesse e confira!